Ubuntu 11-10 (Oneiric)

Ôlas Navegante. Não concluí esta página porque o Oneiric ainda não foi lançado e muito do que escrito agora pode mudar; segue o rascunho:

Com a chegada da data de lançamento (13 de outubro) do Ubuntu 11.10 (Oneiric) resolvi instalar ele em meu micro para conhecer; já que estamos na semana “pre-release images”.

Como não posso deixar de dar um “pitaco”, minha primeira impressão é que se faz necessário um monte de configurações e instalações de pacotes adicionais para que o sistema fique usável (saudades do 10.04). Aí depois tem gente que reclama do KDE. Ao menos no Kubuntu (Ubuntu KDE) já tenho tudo na imagem padrão. Nove fora, o Unity melhorou bastante e com a chegada do Gnome 3.2 nos canais de software finalmente estamos usando o GTK 3 no Ubuntu :)

Algumas considerações

Alterando fontes, ícones, mouse, etc

Por incrível que pareça é preciso instalar um pacote para alterar o tamanho das fontes, icones, ponteiro do mouse, etc. Então sudo apt-get install gnome-tweak-tool. Após a instalação, no Dash (tecla Super) procure por Advanced settings. Neste poderá alterar a fonte e seu tamanho, o tema de ícones, mouse, etc. Enfim tudo o que se fazia antes e não se pode mais fazer.

Por falar em fontes, lembram que antes para reduzir o proporção das fontes era necessário alterar a resolução DPI do monitor? Agora é possível alterar somente a proporção de exibição da fonte. Mas claro que pelo pacote gnome-tweak-tool citado acima. Estou usando a proporção 0.9 em meu monitor de 1280 por 800.

Ainda nas configurações visuais, por padrão o pacote responsável por alterar a “proteção de tela” (screen saver) é o gnome-screensaver que na versão atual (3.2.0-0ubuntu1) não permite alterar a imagem de exibição. Sei, sei; mas vale lembrar que estamos em um momento de transição no qual acredito que estes aspectos serão resolvidos no 12-04. Mas para não ficar com as mãos abanando pode ver como contornar isto em http://askubuntu.com/questions/64086/how-can-i-change-or-install-screen-savers. Como não uso proteção de tela, não testei.

Tudo “maximizado”

Penso que o intuito do Unity é sempre utilizar as janelas maximizadas. Porque se este não fosse o caso, o titulo da janela e menu não estariam na barra superior ;) Afinal qual a lógica de clicar em uma janela para obter o foco e depois mover o mouse lá para o canto superior da tela para acessar seu menu?

Portanto, para facilitar minha vida: sudo apt-get install maximus e em Startup Applications adiciono o comando maximus. Assim todo aplicativo que abrir terá sua tela maximizada no arranque.

Voltar o menu para as janelas

Como não aguento usar o micro com o menu do programa fora da janela removo o pacote: sudo apt-get purge indicator-appmenu.

Sem estes não existe vida depois de Marte

Pois é; estão “bugados”. Instalando o nautilus-open-terminal e ou nautilus-gksu o navegador de arquivos Nautilus simplesmente deixa de abrir. Está ficando difícil, estes dois pacotes são extremamente úteis para mim. Vamos aguardar até o lançamento e ver como fica. É ficou da mesma forma, vamos aguardar com o tempo de atualização se este problema será corrigido.

Para quem não sabe, o pacote nautilus-open-terminal cria uma opção no menu de contexto (botão direito do mouse) no Nautilus para abrir uma pasta no terminal. O nautilus-gksu coloca, também no menu de contexto do Nautilus, a opção de abrir um arquivo ou pasta como administrador (gksu).

Meus pacotes

Em minha listinha de pacotes pós-instalação, faltou o gwget; que não sei o motivo não está nos canais de software até esta data (07/10) e não estará no Ubuntu Oneiric. Já que não existe inclusão de pacotes ou alteração de versões após o lançamento. Sei que existe vida depois de Marte, mas que está cada vez mais difícil está. Segue:

sudo apt-get install aptitude synaptic bum cheese gthumb nautilus-sendto unrar p7zip-full ttf-mscorefonts-installer ntp grsync gnome-schedule compizconfig-settings-manager fusion-icon ttf-dejavu-extra ffmpeg gstreamer0.10-plugins-bad gstreamer0.10-plugins-bad-multiverse gstreamer0.10-plugins-cutter gstreamer0.10-plugins-ugly gstreamer0.10-ffmpeg gstreamer0.10-fluendo-mp3 gstreamer0.10-pitfdll gstreamer0.10-sdl gsfonts-x11 pidgin pidgin-extprefs pidgin-guifications pidgin-plugin-pack manpages-pt manpages-pt-dev screenlets xchat tango-icon-theme tango-icon-theme-common tango-icon-theme-extras gparted system-config-samba gufw gedit-plugins ttf-droid ntfs-config winff meld gnome-alsamixer vlc vlc-plugin-pulse mozilla-plugin-vlc shutter gnome-web-photo libgoo-canvas-perl gnome-subtitles xvidcap gimp gtk2-engines-aurora flashplugin-installer build-essential oxygen-cursor-theme gnome-mplayer mencoder terminator compiz-fusion-plugins-extra pastebinit oggconvert

Minha configuração do Unity e Compiz

Tentei exportar minhas configurações mas esta parte do compizconfig-settings-manager está “bugada”. Ao tentar exportar ou importar ele detonou com o Unity. Vamos que vamos…

Conclusão

Existe o Gnome-Shell já instalado na imagem padrão instalando o pacote: sudo apt-get install gnome-shell. Utilizando assim rapidamente preferi o Unity porque ainda que de forma nova temos visualmente na barra a esquerda (Launcher) a lista de janelas abertas. Mas o que me chamou a atenção no Gnome-Shell é o comportamento dos aplicativos que trabalham minimizados na bandeja do “systray” (ao lado do relógio). Me parece que as coisas funcionam muito bem no Unity somente “in box”. Ou seja, qualquer outra coisa fora da caixa tem que alterar o dconf manualmente (xchat por exemplo) para se ter o comportamento esperado no “systray”.

É impressionante como com o Unity pode-se fazer tudo pelo teclado. Existem teclas de atalho para acesso a todo o Unity. Eu que usava um mouse USB em meu note porque não me adaptava ao touchpad. No Unity consigo confortavelmente utilizar o mouse padrão do note graças ao acesso via teclado que diminui consideravelmente (ou totalmente) o uso do mouse.

Ainda no Unity, senti falta no Launcher (tecla ALT + F1) do Search applications (tecla Super + A) que vinha no 11-04 como um ícone. Será que é muito complicado ter uma opção para “ativar” ou “desativar” isto? Alias, gostaria também de uma configuração para “ativar” ou “desativar” as sugestões de instalação de pacotes no Unity enquanto se utiliza o Dash (tecla Super). Melhor, gostaria muito de ter mais opções de configurações. Quem sabe no próximo release (12-04).

É engraçado como a distribuição dos aplicativos no menu principal ficou esquisita. Sim, no Unity existe agora um menu através do Search applications (tecla Super + A) no qual é possível exibir todos os aplicativos por seção. Um exemplo, o que antes estava na seção Administração do menu agora está na seção Outros. Não sei o que adiantou adicionar estas seções de separação do menu com uma completa desorganização.

Agora, ficou legal pacas o Ubuntu Software Center. Como já escrevi em minha página sobre o Ubuntu; penso que o novo Software Center é um divisor de águas em distribuições GNU/Linux. Finalmente temos uma gerenciador de instalação amigável, organizado e interativo. Se tiver curiosidade, pode ver como foi seu planejamento acessando: wiki.ubuntu.com/SoftwareCenter.

Sobre novidades ainda, as novas versões da família de fontes do Ubuntu estão sensacionais. Incluindo a nova fonte Ubuntu Monospace que se ajusta perfeitamente e proporciona uma leitura agradável. Estou utilizando o ttf-ubuntu-font-family no lugar da Liberation.

Ao contrário do que muitos dizem, o Oneiric vem sim com a opção do Gnome clássico (sudo apt-get install gnome-session-fallback). Lá na tela de “login” (LightDM) tem a opção de Gnome Classic e Gnome Classic (no effects). Citando que agora estamos falando do Gnome 3, então embora o visual possua as duas barras e seu menu; algumas coisas mudaram. Mas para quem prefere, pode usar como antigamente sem problemas.

Para finalizar, no Ubuntu 11-04 ainda estávamos no Gnome2, no 11-10 veio o Gnome 3 e no 12-04 creio termos o Gnome 3 melhor definido. Em resumo meus maiores problemas não estão relacionados ao Unity; mas sim a versão 11-10 do Ubuntu especificamente. Com pacotes do Gnome “bugados”, outros que não estão em sua árvore (canais de software) e dos pacotes escolhidos por padrão na imagem. Problemas estes que não encontro no Kubuntu (Ubuntu KDE). Por isto acredito muito nesta ideia: netsplit.com/2011/09/08/new-ubuntu-release-process.

É isto, vou usando e adicionando informações nesta página. E claro que aguardando ansiosamente a chegada do LTS 12.04. Porque como já escrevi na minha página sobre o Ubuntu, as únicas versões para se levar a sério do Ubuntu são as LTS.

Como de costume: wiki.ubuntu-br.org/Unity.

PS: Só não sei quanto tempo vou aguentar; fazem dois dias e estou com uma saudade imensa do KDE.

– []s.
– Zandre Bran.